.


Sistema Solar em tempo real para educação astronômica...

Please install latest Flash Player to run Solar System Scope

PROPAGAÇÃO

terça-feira, 7 de agosto de 2012

CONTATOS POR EVP E CONTATOS VIA RÁDIO

Contatos por EVP e Contatos Via Rádio: Um Pequeno Passo a Passo para Iniciantes em Transcomunicação Instrumental
Phyllis Delduque e Paulo Roberto Cabral
Um Pequeno Passo a Passo para Iniciantes em Transcomunicação Instrumental
 

Primeiramente vejamos as diferenças existentes entre o que chamamos de EVP e os contatos via rádio. Chamamos de EVP (Electronic Voice Phenomena) a simples gravação feita a partir do ruído do ambiente, sem a utilização de nenhum outro equipamento além do gravador. Como o próprio nome sugere, contatos via rádio dão-se pela utilização desse equipamento, o rádio, para gerar o ruído de fundo e o gravador para a gravação. Vejamos abaixo os equipamentos utilizados para os dois tipos de contatos por vozes:

Equipamentos para contatos por EVP: 

Qualquer gravador, desde que tenha uma entrada de microfone ou um microfone embutido, tipo os mini-gravadores modernos que já trazem um microfone de eletreto. Se o gravador não tiver microfone embutido será necessário a utilização de um e externo. Aconselhando a utilização de um gravador que já tenha o microfone embutido, pois geralmente, ele vem com um microfone de eletreto que é o melhor microfone para experimentos em TCI. Não há segredo para a utilização desse equipamento, basta apenas seguir as instruções do manual do equipamento.

Equipamentos para contatos via rádio: 

Gravador com as mesmas recomendações para contatos por EVP, conforme descrito acima. Um ou mais rádio receptores que tenham a faixa de ondas curtas (pelo menos de 49 m a 13 m), geralmente, os receptores mais antigos têm essa faixa. Para os que não conhecem os dados acima, uma forma simples de identificar esse tipo de rádio receptor é procurar por um que sintonize emissoras distantes, principalmente, as estrangeiras. Sugerimos em caso de dúvida consultar alguém especializado para indicar se o equipamento possui ou não a faixa de ondas curtas.

Como realizar uma sessão de TCI utilizando os métodos acima:
Sessão de TCI por EVP: 

Antes de começarmos a descrição do método é bom salientar que esse embora seja o mais fácil é o que oferece maior dificuldade na hora de se ouvir as captações feitas, pois as vozes aparecem muito baixas. Para se realizar a sessão de TCI por esse método, coloca-se uma fita virgem (pelo menos nessa primeira sessão é importante que a fita nunca tenha sido usada, pois assim o pesquisador não terá dúvidas quanto ao que aparecer gravado depois). Iniciar a sessão de TCI fazendo uma saudação inicial procurando indicar o dia e a hora em que a mesma está se realizando. Após a saudação iniciar as perguntas deixando sempre um espaço de, pelo menos, um minuto ou menos para as resposta. Faça isso durante uns cinco minutos para começar seus experimentos. Após a sessão, voltar a fita e ouvir, prestando bastante atenção às perguntas e possíveis respostas, anotando as perguntas e as possíveis respostas ou, mesmo que não haja respostas, em frases que sejam familiares, ruídos diferentes dos que estavam no ambiente. Com relação a esses ruídos é importante tomar cuidado, pois se está trabalhando com gravador e com microfone de eletreto e esse tipo de microfone amplifica muito o ruído, ou seja, pode-se estar captando um ruído longínquo que o pesquisador não ouve normalmente, por isso a melhor forma de se ter certeza é já fazer a gravação monitorando a mesma, ou seja, usando fones durante a gravação para escutá-la ao vivo. Mas isso não é problema e nem será motivo de dúvidas porque com a prática o pesquisador saberá por si só diferenciar esses sons.

A Sessão de TCI Usando o Rádio: 

O processo de gravação por esse sistema não difere do anterior, o que se acrescentam no caso são os ruídos do rádio ao som ambiente. Diferente do EVP, esse sistema proporciona mensagens muito mais nítidas embora exija do pesquisador maior prática para não confundir interferências ou emissões de emissoras de rádio com vozes “paranormais“. Existem duas formas de se utilizar o sistema. Grava-se o ruído entre estações, nesse caso as mensagens ficam ainda muito baixas ou se grava em uma ou mais emissoras que estejam transmitindo em língua estrangeira que o pesquisador não conheça ou não domine mesmo sabendo em qual língua está sendo a transmissão. Em princípio para nós de língua portuguesa aconselhamos a não utilizar algumas línguas latinas como o espanhol, o italiano, pois possuem palavras parecidas com as nossas na pronúncia. O melhor é, ou procurar algo que não se entenda nada mesmo, ou se conhecer um pouquinho da língua, mesmo sem ter domínio, escolher o russo, o árabe, chinês, japonês etc. Nesse caso liga-se o rádio a um volume com intensidade do meio para baixo e começa-se a gravar, também, de preferência, monitorando, ou seja, ouvindo o que está sendo gravado pelo “head phone” (fone de ouvido ). Pode-se usar um ou mais rádios em emissoras diferentes. A distância do rádio para o gravador e do pesquisador para o gravador deve ficar em torno de um metro, mas pode-se experimentar distâncias maiores. Jamais ligue o rádio colado ao microfone, a não ser que o microfone não tenha um bom ganho, ou seja, capte a gravação baixinho, mas nesse caso aconselhamos a troca do equipamento por um que tenha um microfone do tipo eletreto, ou jamais ligue o rádio direto via cabo ao gravador ou computador, nossas pesquisas mostram que a melhor forma é utilizar o microfone. O melhor para se ter certeza se o microfone é adequado é monitorando e observando se o microfone do gravador capta todo som ambiente e até mesmo sons mais longínquos. Essa questão poderá ser resolvida também com a utilização de outros equipamentos como amplificadores para microfone, etc., lembrando que não será a sofisticação do equipamento que dará melhores resultados. Com relação a como fazer a sessão e ouvir, o método é o mesmo de perguntas e respostas do EVP, explicado anteriormente.

Como separar as mensagens recebidas em TCI com gravador? 

Existem dois métodos para se arquivar, ou separar, essas mensagens para serem guardadas. Um utilizando novamente fita cassete e outro passando para o computador. Para se arquivar uma mensagem encontrada em nossa escuta para uma outra fita cassete vamos precisar de dois gravadores, pois um vai tocar a nossa TCI original e o outro vai gravar o trecho encontrado. Para isso você irá colocar os dois gravadores próximos um do outro, ligar o gravador que vai gravar e descrever a mensagem que será gravada . Você falará, por exemplo: “Aqui eu pergunto sobre meus avós que desencarnaram há alguns anos e logo após a minha pergunta vem a resposta em uma voz feminina (ou masculina, ou criança, etc. ) dizendo : Estão todos bem“.
Imediatamente após esse relato seu e ainda com o gravador ligado ligue o outro para que reproduza em voz de média para alta a mensagem toda inclusive com a sua pergunta durante a TCI, terminada a mensagem desligue tudo e vá fazendo isso sucessivamente para outras mensagens encontradas. Pronto! Você acaba de arquivar todas suas mensagens. Cuidado que fitas cassete costuma se deteriorar. Guarde-as bem.
Outra forma é a passagem imediata da mensagem para o computador, nesse caso pode-se utilizar dois métodos, um deles é regravar a mensagem captada pelo microfone do computador utilizando os procedimentos e programas apropriados que são explicados na próxima seção “gravação utilizando-se o computador no lugar do gravador” que vem logo a seguir. Nesse caso não há necessidade de se narrar a mensagem, mas não se esqueça de, na hora de arquivar, ao se clicar em : Salvar como : colocar-se o nome da mensagem como nome do arquivo que ficará por exemplo :” Vê , espanta! Tu descobriste a vida.wav “.
Alguns sistemas não operacionais ou programas não aceitam alguns caracteres como nome de arquivo ou entre nomes de arquivos, caracteres como: ( ?/!, etc ) evite-os . Isso não será problema, pois ao ouvir a mensagem ou o arquivo você saberá que a entonação pede uma interrogação, etc. Com relação às mensagens captadas esteja atento pois você tanto poderá receber respostas às suas perguntas como também receber frases isoladas que, embora não sejam respostas ao que você questionou, podem ser ensinamentos, o exemplo acima foi um desses ensinamentos recebidos em um momento em que tentávamos iniciar nossas pesquisas sem muito sucesso e já estávamos desistindo quando apareceu essa mensagem que foi o motivo de nossa insistência e dedicação e uma grande lição recebida.

Gravação utilizando-se o computador no lugar do gravador. 

O computador como elemento de multimídia tem placa de som com saídas para caixas acústicas, entrada de microfone e entrada de linha ou auxiliar. Se observarmos, o computador age como se fosse um gravador, pois, utilizando-se programas apropriados, podemos fazer gravações como fazemos usando gravador e fita cassete. É esse recurso que podemos utilizar em nossas pesquisas de TCI. Para isso precisaremos de algumas configurações e programas que a maioria dos usuários de computador já têm conhecimento. Os programas para gravação são os mesmo que usamos para gravar músicas no PC como o Gravador do PC que fica em inciar/programas/acessórios. Veja imagem abaixo:


Como esse programa, o gravador de som, apresenta muito poucos recursos, podemos utilizar outros mais sofisticados e sem querer fazer nenhuma divulgação de produtos e empresas, pois não é essa nossa intenção, alguns mais famosos que se pode usar no lugar desse são: “Sound Forge”, “Gold Wave” ou o “ Cooledit“. Entre a maioria dos transcomunicadores há uma tendência em se utilizar o programa Cooledit pela facilidade de manuseio e pelos recursos que possui. Esse programa possui algumas versões, desde o cooledit 96, cooledit pro 1.0, cooledit pro 1.1, cooledit pro 1.2 e o cooledit 2000.
Embora o nome 2000 nesse último, ele não é a versão mais completa e nem a que apresenta mais recursos. A mais completa é o cooledit pro 1.2 . Insisto na questão de que não se trata de propaganda do programa cooledit, apenas uma apresentação maior por ser o mais utilizado. Tendo-se um desses programas uma outra coisa que se tem que ter é domínio do Mixer do Windows. Para se ter acesso a ele é só clicar na barra de tarefas no ícone que representa um alto falante como se vê na figura abaixo :


Ao clicar-se duas vezes abrirá a tela do mixer no controle de 
volume conforme figura abaixo:


Clique nessa tela em “opções” e “propriedades” e aparecerá uma 
outra tela, conforme figura abaixo:


Escolha gravação e dê “OK” e aparecerá a tela do mixer de gravação, onde se escolherá o microfone e também poderá se controlar o volume de gravação:


Observe na figura acima que o item microfone tem um item chamado “avançado”. Algumas placas de som têm nesse recurso a possibilidade de se amplificar o microfone em +20db. Se sua placa tiver esse recurso, utilize-o. Caso contrário controle o nível de gravação no volume.
Passada essa parte mais técnica e uma vez tendo-se aprendido a usar o programa para gravação é só fazer a TCI da mesma forma que se faria usando o gravador. Nesse caso trocamos o gravador pelo computador. É bom ressaltar que existe um outro tipo de TCI via computador, citado nos livros que é raríssima, mas que segundo alguns autores como Hildegard Schaffer em Contato Entre o Aqui e o Além, Editora pensamento, que ocorre de forma espontânea, ou seja, os arquivos de vozes, textos e imagens já aparecem espontaneamente no computador, mas esse não é o caso aqui descrito.
Para o caso de ocorrências espontâneas não existem nem métodos. Quanto ao citado aqui por nós é apenas uma adaptação, uma troca entre computador e gravador para aproveitarmos melhor as novas tecnologias em prol da TCI e adianto que em nossos experimentos observamos que a utilização desses equipamentos modernos em nada melhoram ou pioram a qualidade das captações, apenas é mais cômodo para nós.
Algumas recomendações:
- Como em toda pesquisa ou mesmo todo trabalho espiritual faça-o com seriedade, mas sem medo, pois nada poderá te prejudicar a não ser você mesmo e seus propósitos.
- Não desanime, tenha persistência e paciência, procure ter uma certa regularidade nas pesquisas, não que isso seja importante para o lado de lá, mas para nós mesmos .
- Esteja muito atento às primeiras captações, vão ocorrer fenômenos auditivos, isso em algumas pessoas que, de repente, poderão fazer com que, pelo menos na primeira semana em que se começar a ouvir as captações, a pessoa passe a ouvir essas mensagens até mesmo fora dos momentos de sessão de TCI. Isso não ocorre com todo mundo, mas como aconteceu com a gente, fica aqui um alerta para que os menos preparados não se desesperem e busquem ter um controle da situação e busquem ter contato com um outro colega de TCI para orientação, ninguém progride sozinho. O fato acima,como falei, não acontece com todo mundo e é passageiro; dura apenas de uns dois dias a uma semana e depois desaparece e você passa a receber as mensagens normalmente e somente depois de gravar e ao ouvir a TCI gravada.
- Não faça TCI por motivos irrisórios ou para proveito próprio no sentido material. Use a TCI como instrumento de crescimento interior seu e dos que te cercam.
- Ao invés de fazer sessões de TCI pelas pessoas, ensine-as a fazer a própria sessão só assim as pessoas terão oportunidade, não de crer, mas de terem certeza do que vivenciam .
- Anote tudo que você fizer, transcreva as mensagens indicando em que arquivo estão ou em que fita, pois devido a serem vozes ruidosas, nem sempre você as encontrará novamente se não tiver todo um controle.
- Não seja apenas um teórico da TCI, mas pratique sempre e a partir dessa prática, sim colabore na elaboração de uma teoria que possa ajudar a levar a TCI a avançar.
- Contribua sempre para que outras pessoas possam ter acesso aos avanços que você estiver atingindo.



Fonte:  transcomunicacao.com.br


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recent Posts

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...