.


Sistema Solar em tempo real para educação astronômica...

Please install latest Flash Player to run Solar System Scope

PROPAGAÇÃO

sábado, 25 de fevereiro de 2012

E. F. CENTRAL DO BRASIL (1914-1953)

ACIMA: A estação de Tremembé  em 2011 tirada pelo fotógrafo Ralph M. Giesbrecht que fiz de cartão  para os amigos do rádio e lembrança do contato feito comigo através dos 11metros (faixa do cidadão) - QAP de Tremembé é a frequência de 27.125KHz digito 14 AM, sejam todos bem vindo para a comunicação 11metrista! Cordial 73's

HISTORICO DA LINHA

Em 1869, foi constituída por fazendeiros do Vale do Paraíba a E. F. do Norte (ou E. F. São Paulo-Rio), que abriu o primeiro trecho, saindo da linha da SPR no Brás, em São Paulo, e chegando até a Penha. Em 12/05/1877, chegou a Cachoeira (Paulista), onde, com bitola métrica, encontrou-se com a E. F. Dom Pedro II, que vinha do Rio de Janeiro e pertencia ao Governo Imperial, constituída em 1855 e com o ramal, que saía do tronco em Barra do Piraí, Província do Rio, atingindo Cachoeira no terminal navegável dois anos antes e com bitola larga (1,60m). A inauguração oficial do encontro entre as duas ferrovias se deu em 8/7/1877, com festas. As cidades da linha se desenvolveram, e as que eram prósperas e ficaram fora dela viraram as "Cidades Mortas"... O custo da baldeação em Cachoeira era alto, onerando os fretes e foi uma das causas da decadência da produção de café no Vale do Paraíba. Em 1889, com a queda do Império, a E. F. D. Pedro II passou a se chamar E. F. Central do Brasil, que, em 1896, incorporou a já falida E. F. do Norte, com o propósito de alargar a bitola e unificar as 2 linhas. O primeiro trecho ficou pronto em 1901 (Cacheoira-Taubaté) e o trecho todo em 1908. Em 1957 a Central foi incorporada pela RFFSA. O trecho entre Mogi e São José dos Campos foi abandonado no fim dos anos 1980, pois a construção da variante do Parateí, mais ao norte, foi aos poucos provando ser mais eficiente. Em 31 de outubro de 1998, o transporte de passageiros entre o Rio e São Paulo foi desativado, com o fim do Trem de Prata, mesmo ano em que a MRS passou a ser a concessionária da linha. O transporte de subúrbios, existente desde 1914 no ramal, continua hoje entre o Brás e Estudantes, em Mogi e no trecho D. Pedro II-Japeri, no RJ. 


  ACIMA: A estação de Tremembé, foto publicada em 1922. Não fazia muito tempo que ela fazia parte do ramal, donde passou a ser parte em 1914 (Acervo Ralph Mennucci Giesbrecht). ABAIXO: Mapa das ferrovias em 1885. Notar a existência da linha Taubaté-Tremembé (Acervo Eliana Belo Silva).
  

A ESTAÇÃO

A estação de Tremembé foi inaugurada em 1914; a linha da Central não passava pela cidade. Existia um tramway de bitola de 60 cm que ligava Taubaté a Tremembé, que foi suprimido quando foi construída a variante que fez com que a linha passasse por essa cidade. Aliás, a Central comprou a linha em 1913 e alargou-a em boa parte do percurso aproveitando-a para colocar Tremembé no ramal de São Paulo. Essa linha já existia em 1885, se confiarmos no mapa abaixo. Por isso a inauguração da estação somente em 1914. A linha, entre Pindamonhangaba e Taubaté, foi desativada em 1951 com a retificação feita entre esses pontos, eliminando tanto a estação de Tremembé quanto a de Quiririm, e o povo de Tremembé passou a se utilizar da nova estação de



Engenheiro Cotrim que ficava na linha nova, fora da cidade. Curiosamente, a nova variante não tem um percurso muito diferente da linha que até 1913 passava por fora da cidade... "A variante foi inaugurada entre o final de 1951 e início de 1952, segundo uma notícia que apurei na edição do mês de abril de 1952 do jornal A Tribuna de Taubaté, o trecho e, conseqüentemente a estação já havia sido desativada e o mesmo artigo ainda fazia críticas quanto a localização da "Tremembé Nova" que foi aberta bem longe da cidade. Talvez por este motivo apenas os trens paradores continuaram a fazer suas paradas nesta estação, repare que os trens que não param correspondem ao Santa Cruz, Diurno Paulista (DP), Rápido Paulista e Noturno Paulista, que eram os que ofereciam maiores comodidades na época e os mais caros. Já ouvi notícias de que na época em que a estação de Tremembé antiga funcionava, todos esses trens (exceto o Santa Cruz) paravam nela" (Marco Giffoni, 02/2006). A estação de Tremembé está hoje situada no centro de uma praça no centro da cidade. 

ALGUMAS FOTOS ANTIGAS


 A estação de Tremembé, c. 1920. Foto do livro de Carlos Cornejo e Eduardo Gerodetti, Lembranças do Brasil - As Ferrovias nos Cartões Postais e Álbuns de Lembranças

  A estação nos anos 1940. Foto do acervo de Ércio Molinari, Lorena, SP, cedida por Marco Giffoni

 A estação, abandonada em 1969. Revista VEJA, 22/1/1969

A estação de Tremembé, em 14/01/1999. Foto Ralph M. Giesbrecht

 A estação em 2010. Foto Tiago Luiz Zacarin

 Lado da plataforma em 16/5/2011. Foto Ralph M. Giesbrecht

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Tiago Luiz Zacarin; Eliana Belo Silva; Ércio Molinari; Marco Giffoni; VEJA, 1969; Carlos Cornejo e Eduardo Gerodetti: Lembranças do Brasil - As Ferrovias nos Cartões Postais e Álbuns de Lembranças; Max Vasconcellos: Vias Brasileiras de Communicação, 1928; www.vnews.com.br; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht e estacoesferroviarias.com.br/t/tremembe.htm)
       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recent Posts

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...