.


Sistema Solar em tempo real para educação astronômica...

Please install latest Flash Player to run Solar System Scope

PROPAGAÇÃO

terça-feira, 30 de julho de 2013

APOSENTADO FABRICA RÁDIOS "DO TEMPO DA VOVÓ" EM OFICINA IMPROVISADA

Os aparelhos de rádios fabricados por Guido foram batizados de Canta Brasil (Foto: Andréia Machado/G1)
Os aparelhos de rádios fabricados por Guido 
foram batizados de Canta Brasil 

Numa época onde o rádio era o principal meio de comunicação do Brasil, Guider Zolinger, 74 anos, começou a fabricar artesanalmente aparelhos de rádios. São mais de 50 anos dedicados ao conserto e montagem de rádios. “Desde criança eu sonhava em ser inventor, ai comecei a consertar os rádios dos vizinhos, e fui me apaixonando pela profissão. Então, devagarzinho eu fui me aperfeiçoando, até chegar ao ponto de fabricar os meus próprios rádios”, relembra. Com uma pequena oficina localizada nos fundos de sua casa, quando a saúde ajuda, ele confecciona um tradicional rádio de caixa, de amplitude modulada (AM). “O radio sempre salvou nossa vida, pois nos momentos mais difíceis que a gente atravessou eu recorria à fabricação do aparelho, vendia e conseguia sustentar a minha família”, conta. Guido tem Mal de Parkinson. Na pequena oficina nos fundos de casa, Guido criou dezenas de aparelhos de rádio, que embalaram e continuam a embalar os dias, tardes e noites de muitos vilhenenses. Muitos elementos que compõem os rádios produzidos por Guido são de fabricação própria. “Ele faz o chassi, a caixa, os vidros ele corta e manda por os números e todo o resto. A única coisa que ele não faz é transistor e resistência. O resto ele faz tudo”, explica Renata Zolinger, esposa de Guido há 53 anos.

Guido Zolinger conta que sempre sonhou em ser inventor  (Foto: Andréia Machado/G1)
Guido Zolinger conta que sempre
 sonhou em ser inventor 

Guido não sabe quantos rádios fabricou durante sua vida. “Nunca pensei em contar, mas já foram muitos”, afirma. Guido batizou seus aparelhos de rádios de Canta Brasil. “Os brasileiros gostam muito de ouvir músicas e de cantar também, então achei que o nome dos rádios deveriam ser Canta Brasil”, justifica. Para montar um rádio, Guido explica que demora, em média, dois dias. “Porque o material está todo separadinho e é só colocar. O que demora mais é os fios aqui na faixa. Tem que pegar ondas médias lá, tem que pegar ondas médias aqui, tem que pegar Rádio Nacional nesse e também naquele. Qualquer um que montar tem que ser faixa completa”, detalha. "Eu nunca mostrei pra ninguém o jeito que eu faço." Os rádios produzidos por Guido são movidos a pilhas alcalinas. “Queima menos com relâmpago”, explica. Além de uma caixa de madeira chamativa, o interior do aparelho radiofônico produzido por Guido é um verdade enigma para outros técnicos em eletrônica. “Eu nunca mostrei pra ninguém o jeito que eu faço”, diz. Os rádios produzidos por Guido operam em amplitude modulada (AM), e dependendo da faixa selecionada , bem como o horário, é possível sintonizar emissoras de vários lugares do planeta. “Em qualquer caixa ele funciona e pega o mundo inteiro”, reforça. As emissoras mais pedidas durante a encomenda dos rádios são as AM locais, como a Planalto e a Rádio Vilhena, além da Rádio Nacional de Brasília. Também é possível sintonizar rádios de São Paulo, Rio de Janeiro e de outras localidades do Brasil.

Rádio sintoniza ondas curtas (Foto: Andréia Machado/G1)
Rádio sintoniza ondas curtas




Nas ondas de Guido

O agricultor João da Silva é morador do município de Chupinguaia foi um dos felizes compradores do radio fabricado por Guido. João conta que comprou o Canta Brasil há cinco anos e o aparelho nunca deu problema. “É muito bom o rádio, além de ser bonito lembra o rádio que minha mãe tinha na casa dela, esses aparelhos de hoje em dia são todos de plásticos e quebram logo, por isso eu quis comprar o que seu Guido fabrica”, diz João. Já o comerciante José da Costa, que é morador de Cerejeiras, conta que um dos motivos que fez ele adquirir um aparelho de rádio fabricado por seu Guido foi o fato do rádio conseguir sintonizar estações do mundo todo. “É muito bom poder ouvir estações de rádios da Itália, sem falar nas brasileiras como a Rádio Nacional, não é todo aparelho que consegue fazer isso”, argumenta José. A jornalista Patrícia da Veiga, que atualmente vive em Goiânia, conta que comprou o rádio fabricado por Guido quando era professora na Universidade Federal de Rondônia, em Vilhena. “Eu comprei o rádio fabricado por diversos motivos. O primeiro e mais importante é que eu gosto de ouvir rádio e fiquei encantada com a ideia de ter um aparelho em casa que capta ondas tropicais. Isso me lembra a minha infância na fazenda, ouvindo Rádio Nacional de Brasília. Com o rádio que o senhor Guido fez pra mim, posso ouvir até rádios da Colômbia. É muito útil. O segundo motivo é que na época eu era professora de radiojornalismo e precisava conhecer tudo sobre rádio. Claro que eu não aprendi a fabricar um rádio, mas achei fascinante acompanhar sua fabricação”, diz Patrícia.

Guido em sua oficina onde são fabricados os rádios (Foto: Andréia Machado/G1)
Guido em sua oficina onde são fabricados os rádios 



Fonte: Site G1 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recent Posts

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...